0.000
Nome Artístico
Paulão Sete Cordas
Nome verdadeiro
Paulo Roberto Pereira de Araújo
Data de nascimento
29/9/1958
Local de nascimento
Rio de Janeiro, RJ
Dados biográficos

Arranjador. Instrumentista (violonista).

Nasceu no bairro do Estácio. Foi criado no bairro do Jacarezinho, subúrbio do Rio de Janeiro.
Descendente de família de músicos, seu avô, João Gonçalves de Araújo, tocava clarinete.
Ainda menino, conviveu com os grandes compositores da Mangueira, freqüentando os ensaios da bateria da escola comandados por Mestre Valdomiro.

Dados artísticos

Aos 20 anos, iniciou a sua carreira acompanhando Nelson Cavaquinho durante dois anos.

Na década de 1980, fez a direção musical dos discos das velhas-guardas da Portela (Doce recordação, 1986) e Mangueira (Mangueira chegou, 1989) produzidos por Katshonuri Tanaka para o mercado japonês.

No ano de 1994, fez a a produção musical do CD “Resgate”, de Cristina Buarque, lançado pela gravadora Saci.

Em 1996, fez a direção musical e os arranjos para o disco “Eu canto samba”, da cantora Dorina, lançado pela Leblon Records.

No ano de 1999, o Arquivo-Geral da Cidade do Rio de Janeiro produziu o CD “Mangueira – sambas de terreiro e outros sambas”. Neste disco, em homenagem aos compositores da Mangueira, coube a ele fazer a direção musical e alguns arranjos. Ainda neste mesmo ano, fez a direção musical e os arranjos para o disco “Tudo azul”, da Velha-Guarda da Portela, produzido pela cantora Marisa Monte para o selo Phonomotor e distribuído pela gravadora EMI.

Em 2000, fez os arranjos e a direção musical do disco “Samba.com”, de Dorina.

Em seus vários anos de carreira, assinou a direção musical e os arranjos de diversos shows e discos de vários nomes da MPB, como Zeca Pagodinho, Wilson Moreira, Argemiro da Portela, Nei Lopes, Xangô da Mangueira, João Nogueira, Roberto Silva, Tia Surica e Cristina Buarque, entre muitos outros.

Participou dos discos da Orquestra Pixinguinha e da Orquestra de Brasília.

Fez arranjo para várias faixas dos discos “Casa de samba”, produzidos por Rildo Hora (com quem trabalhou muitos anos). No disco “Casa de samba 4”, fez o arranjo para a faixa “Falso amor sincero” de Nelson Sargento, interpretada por Walter Alfaiate e Dorina.

Um dos arranjadores preferidos de artistas como Nelson Sargento, Tantinho da Mangueira, Darcy da Mangueira, Babaú da Mangueira, Casquinha, Argemiro da Portela, Monarco entre muitos outros, com os quais trabalhou em discos e em shows.

No ano 2002, juntamente com Mauro Diniz, fez a direção musical do show beneficente em homenagem a Walter Rosa, que reuniu, no Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro, Paulinho da Viola, Velha-Guarda da Portela, Nelson Sargento, Délcio Carvalho, Darci da Mangueira, Tantinho da Mangueira e Monarco, entre outros. Neste mesmo ano, fez a produção musical e os arranjos do disco “A música de Paulinho da Viola”, CD duplo de Teresa Cristina em homenagem a Paulinho da Viola.

Em 2011 realizou uma temporada de shows no bar Carioca da Gema, no Rio de Janeiro, acompanhado do grupo Pé de Moleque, integrado pelos músicos Ramon Alexandre (violão), Márcio Almeida (cavaquinho), Kiko Horta (acordeom), Luiz Louchard (baixo) e Netinho Albuquerque (pandeiro). Nesse mesmo ano foi homenageado com o “Troféu Excelência Musical” na comemoração do 11º aniversário do Jornal Capital Cultural, realizada no Carioca da Gema, em que também premiou os melhores shows das casas noturnas do Centro do “Rio Antigo”.

Em 2012 participou da gravação do songbook “Roda de Choro 1”, lançado pelo selo Global Choro Music Corporation, integrando o regional de choro ao lado de Alessandro Cardozo, Netinho Albuquerque e Charlles da Costa. O songbook contou com um repertório de choros que incluíam composições de Viriato Figueira da Silva, “Só para moer”; José Toledo, “Cuidado, violão”; Honorino Lopes “Língua de preto”; Hermeto Pascoal “Chorinho pra ele”; entre outros.

Em 2013 atuou como maestro no show em comemoração aos seis anos do programa “Samba Social Clube”, da rádio MPB FM, realizado na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro, que contou com a participação de Monarco, Almir Guineto, Xande de Pilares, Arlindo Cruz, Diogo Nogueira, Serjão Loroza, Neguinho da Beija Flor, Mariene de Castro e Roberta Sá.

Em 2014 participou do “Festival Rival 80 Anos” do Teatro Rival, no Rio de Janeiro, homenageando Ary Barroso, acompanhado dos músicos do grupo Pé de Moleque, Ramon Araújo (violão), Alexandre Maionese (flauta), Márcio Almeida (cavaquinho), Kiko Horta (acordeom), Luiz Louchard (baixo), Netinho Albuquerque (pandeiro) e da cantora Fabiana Cozza, convidada especial do evento.

Em 2017 atuou pela primeira vez como arranjador e diretor musical de um espetáculo teatral, o musical “Negros e judeus na Praça Onze”, que estreou no Teatro Vanucci, no Rio de Janeiro.

Em 2020 realizou a série de apresentações semanais “O Samba Nosso de Cada Dia”, exibidas ao vivo em seu canal de vídeos online, durante o período de quarentena – devido à pandemia do vírus Covid-19 – e disponibilizou algumas das partituras dos sambas que tocou nessa série.

Discografias
2012 Choro Music CD songbook Roda de Choro 1 (participação)
Shows
2014 Teatro Rival, Rio de Janeiro Paulão Sete Cordas e grupo Pé de Moleque convida Fabiana Cozza – “Festival Rival 80 Anos”
Homenagem a Walter Rosa. (vários). Teatro João Caetano, RJ.
Bibliografia Crítica

ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira – Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008; 2ª ed. Esteio Editora, 2009.