0.000
© Fonte Site Jornal O Globo
Nome Artístico
Leny Andrade
Nome verdadeiro
Leny de Andrade Lima
Data de nascimento
26/1/1943
Local de nascimento
Rio de Janeiro, RJ
Dados biográficos

Cantora.

Aos seis anos de idade, começou a estudar piano. Três anos depois, participou do programa “Clube do guri” (Rádio Tupi/RJ), apresentando-se depois nos programas Silveira Lima e César de Alencar. Ingressou, em seguida, no Conservatório Brasileiro de Música.

Dados artísticos

Iniciou sua carreira profissional em 1958, atuando como “crooner” da orquestra de Permínio Gonçalves.

Em 1961, apresentou-se no Beco das Garrafas, nas boates Bacará (com o trio de Sérgio Mendes) e Bottles (RJ). Ainda nesse ano, gravou o LP “A sensação”. Em 1962, trabalhou como “crooner” da orquestra de Dick Farney, em São Paulo. No ano seguinte, lançou o LP “A arte maior de Leny Andrade”. Em 1965, destacou-se no cenário artístico, ao lado de Pery Ribeiro e do Bossa Três, com o show “Gemini V”, realizado na boate Porão 73 (RJ) e registrado em LP gravado ao vivo. Ainda em 1965, gravou o LP “Estamos aí”, com destaque para a faixa-título (Durval Ferreira e Maurício Einhorn), emblemática em sua carreira, além de “A resposta” (Marcos e Paulo Sérgio Valle) e “Samba de rei” (Marcos Vasconcellos e Pingarilho), entre outras. De 1966 a 1970, viveu no México, apresentando-se diversas vezes com Pery Ribeiro.

Em 1972, resgatou, com Pery Ribeiro, o espetáculo Gemini V, lançando o LP “Gemini cinco anos depois. Pery Ribeiro & Leny Andrade”, que incluiu canções como “Águas de março” (Tom Jobim), “Como dois e dois” (Caetano Veloso) e “Que bandeira” (Marcos Valle, Paulo Sérgio Valle e Mariozinho Rocha). No ano seguinte, gravou o LP “Alvoroço”. Ainda em 1973, participou do Expo-Som 73, ao lado de Márcia, Simone e Ari Vilela, registrado ao vivo em LP. Dois anos depois, lançou o LP “Leny Andrade”, que incluiu canções como “Antes assim” (Wilson Moreira) e “Prum samba” (Egberto Gismonti), entre outras. Em 1979, gravou o LP “Registro”, interpretando músicas como “I love you, you love me” (Durval Ferreira), “Vai de vez” (Menescal e Lula Freire) e “Nós” (Johnny Alf), entre outras.

Nas décadas de 1980 e 1990, dividiu-se entre o Brasil e os Estados Unidos, onde gravou vários discos na área do samba-jazz. Em 1983, lançou o LP duplo “Leny Andrade ao vivo – Volume 1e 2”, com capa de Juarez Machado e produção de José Maurício Machline. O disco foi gravado ao vivo no auditório da RCA Victor, incluindo no repertório canções como “Cantor da noite” (Ivan Lins e Vitor Martins), composta especialmente para a cantora, e “Flor de Lis” (Djavan), entre outras. Em 1984, lançou o LP “Leny Andrade”, que registrou canções como “Trocando em miúdos” (Francis Hime e Chico Buarque) e “O negócio é amar” (Dolores Duran e Carlos Lyra), entre outras. Em 1987, lançou o LP independente “Cartola 80 anos”, registrando obras do compositor, como “As rosas não falam”, “Acontece” e “O mundo é um moinho”, entre outras. Dois anos depois, gravou o LP “Luz neon”.

Lançou, em 1990, o LP “Eu quero ver” e, em 1991, o CD “Bossa nova”, contendo canções como “Rio” (Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli), “Baiãozinho” (Eumir Deodato) e “Chora tua tristeza” (Oscar Castro Neves e Lucercy Fiorini), entre outras. Em 1993, gravou o CD “Embraceable you”, registrando clássicos da música norte-americana em ritmo de bossa nova. No ano seguinte, lançou, com César Camargo Mariano, o CD “Nós”, registrando músicas como “Da cor do pecado” (Bororó), “Você vai ver” (Tom Jobim), “Céu e mar” (Johnny Alf) e “A ilha” (Djavan), entre outras. Ainda em 1994, lançou o CD “Maiden voyage”, que incluiu canções de autores brasileiros, como “Wave” (Tom Jobim) e “Velas içadas” (Ivan Lins e Vitor Martins), entre outras, e canções de autores norte-americanos, como a faixa título (Herbie Hancock) e “Ive got you under my skin” (Cole Porter), entre outras. Também nesse ano, gravou, com Romero Lubambo, o CD “Coisa fina” (voz e violão), interpretando músicas como “Só danço samba” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), “Embola bola” (Djavan), “Saudades da Guanabara” (Moacyr Luz, Aldir Blanc e Paulo César Pinheiro) e “Samba tempo” (Pingarilho e Marcos Vasconcelos), entre outras. Em 1995 gravou, com Cristóvão Bastos, o CD “Antonio Carlos Jobim: letra e música”, interpretando canções que o maestro compôs sem parceiros, como “Vivo sonhando”, “Luíza”, “Este seu olhar” e “Corcovado”, entre outras. Ainda nesse ano, lançou o CD “Luz negra – Nelson Cavaquinho por Leny Andrade”, registrando obras do compositor como “A flor e o espinho” (c/ Alcides Caminha e Guilherme de Brito), “Folhas secas” (c/ Guilherme de Brito) e “Luz negra” (c/ Amâncio Cardoso), entre outras. Em 1998 gravou o CD “Bossas novas”, contendo músicas como “E nada mais” (Durval Ferreira e Lula Freire), “Pode ir” (Carlos Lyra e Vinicius de Moraes), “O chinês e a bicicleta” (Joyce) e “Samba da pergunta” (Pingarilho e Marcos Vasconcelos), entre outras.

Em 2000, participou, ao lado de Gilson Peranzzetta e Guilherme de Britto, do espetáculo “A histórica parceria”, um dos quatro shows da série, dirigida por Ricardo Cravo Albin, que contava a história de Nelson Cavaquinho, apresentada no Centro Cultural Banco do Brasil (RJ). Nesse mesmo ano, lançou o CD “Leny Andrade canta Altay Veloso”, registrando canções do compositor, como “O porteiro”, “Bom-dia” e “Estrela luminosa”, entre outras. Também em 2000, fez show de lançamento do disco no Garden Hall (RJ).

Gravou, em 2001, CD “E quero que a canção seja você”, contendo exclusivamente canções de Ronaldo Bôscoli e seus parceiros.

Apresentou-se, em 2002, na Sala Baden Powell (RJ), com o show “Estamos aí”. Nesse mesmo ano, dividiu o palco do Teatro Rival BR (RJ) com o pianista César Camargo Mariano, para registrar o lançamento do CD “Nós”, gravado em 1994.

Em 2003, seu LP duplo Leny Andrade ao vivo – Volume 1 e 2″, gravado ao vivo no auditório no auditório da RCA Victor, em 1983, foi relançado em CD. Para marcar o relançamento, apresentou-se no Teatro Municipal de Niterói (RJ), acompanhada por Fernando Merlino (piano), Lucio Nascimento (baixo), Adriano Oliveira (bateria), Humberto Mirabelli (cordas) e Julio Merlino (sopros). Ainda em 2003, dividiu o palco do Teatro Rival BR (RJ) com Sílvio César. O show contou com a participação do pianista João Carlos Coutinho.

Ao longo de sua carreira, atuou ao lado de vários outros artistas como Dick Farney, Luiz Eça, Wagner Tiso, Eumir Deodato, Francis Hime, Gilson Peranzzetta e João Donato, singularizando-se por sua capacidade de improvisação.

Em 2004, apresentou-se, ao lado de Johnny Alf, João Donato, Carlos Lyra, Roberto Menescal, Wanda Sá, Pery Ribeiro, Durval Ferreira, Eliane Elias, Marcos Valle, Os Cariocas e Bossacucanova, no espetáculo “Bossa Nova in Concert”, realizado no Canecão (RJ). O show foi apresentado por Miele e contou com uma banda de apoio formada por Durval Ferreira (violão), Adriano Giffoni (contrabaixo), Marcio Bahia (bateria), Fernando Merlino (teclados), Ricardo Pontes (sax e flauta) e Jessé Sadoc (trompete), concepção e direção artística de Solange Kafuri, direção musical de Roberto Menescal, pesquisa e textos de Heloisa Tapajós, cenários de Ney Madeira e Lídia Kosovski, e projeções de Sílvio Braga.

Apresentou-se, em 2005, no Bar do Tom (RJ). Nesse mesmo ano, dividiu o palco do Mistura Fina (RJ) com Pery Ribeiro.

Em parceria como violonista Romero Lubambo, lançou, em 2006, o CD “Lua do Arpoador”, com as seguintes faixas: “No pedaço” (Moacyr Luz e Sergio Natureza), “Desenredo (G. R. E. S. Unidos Do Pau-Brasil)” (Gonzaguinha e Ivan Lins), “Assim não dá” (Kleber Jorge e Regina Werneck), “Influência do jazz” (Carlos Lyra), “Aqui, Oh!” (Toninho Horta), “Beijo distraído” (Durval Ferreira e Regina Werneck), “Bluesette” (Toots Thielemans), “Quando você não vem” (Ivan Lins e Ronaldo Monteiro de Souza), “Mandingueiro” (Moacyr Luz e Aldir Blanc), “Violão vadio” (Baden Powell e Paulo César Pinheiro), “Triste” (Tom Jobim), “Unidunitê” (Marco Aurélio e Márcio Proença) e “Lua do Arpoador” (Ivan Lins e Ronaldo Monteiro de Souza). Nesse mesmo ano, foi lançado o CD “Leny Andrade e César Camargo Mariano ao vivo”, gravado ao vivo no Teatro Guaíra, em Curitiba. No repertório, “O barquinho”, “Telefone”, “A volta”, “Você”, “Vagamente” e “Rio”, todas de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli, “Céu e mar” e “Nós”, ambas de Johnny Alf, “Wave” (Tom Jobim), “Batida diferente” (Durval Ferreira e Maurício Einhorn), “Canção que morre no ar” (Carlos Lyra e Ronaldo Bôscoli), “Se é tarde me perdoa” (Carlos Lyra e Ronaldo Bôscoli), “Dindi” (Tom Jobim e Aloysio de Oliveira) e “Lugar comum” (Gilberto Gil e João Donato).

Em 2008, participou do espetáculo “Bossa nova 50 anos”, realizado na Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Também no elenco, Roberto Menescal, Oscar Castro Neves, Carlos Lyra, Wanda Sá, Leila Pinheiro, Emílio Santiago, Zimbo Trio, Fernanda Takai, Maria Rita, João Donato, Joyce, Marcos Valle e Patrícia Alvi, Bossacucanova e Cris Delanno. O show, em comemoração aos 50 anos da bossa nova, e também celebrando o aniversário da cidade do Rio de Janeiro, teve concepção e direção de Solange Kafuri, direção musical de Roberto Menescal e Oscar Castro Neves, pesquisa e textos de Heloisa Tapajós, e apresentação de Miele e Thalma de Freitas.

Ao final de 2009 esteve na Itália, onde fez cinco shows no Umbria Jazz Festival ao lado do violonista Romero Lubambo.

Em 2010, apresentou-se no Teatro Rival (RJ). No repertório do show, “Se é por causa de adeus” (Dolores Duran), “O porteiro” (Altay Veloso) e “É preciso perdoar” (Alcivando Luz), entre outras. Nesse mesmo ano, lançou o CD de boleros “Alma mia”, contendo as faixas “El Día que me Quieras” (Carlos Gardel e Alfredo Le Pera), “Entonces” (Arturo Castro), “ Sabra Díos” (Alvaro Carrillo), “Vete de mi” (Virgilio Expósito e Homero Expósito), “Como Fue” (Ernesto Duarte), “Mía” (Armando Manzanero), “Nosotros” (Pedro Junco), “Te me Olvidas” (Vicente Garrido), “Lluvia en la Tarde” (Arturo Castro) e outras. O disco contou com a participação de Fernando Merlino (piano, arranjos e produção musical). Fez show de lançamento do disco no Canecão (RJ).

Em 2013, lançou o CD “Canciones Del Rey”, contendo músicas de Roberto Carlos com letras em espanhol. Nesse mesmo ano, foi lançado o livro “Alma mia”, uma biografia da cantora escrita por Regina Ribas.

Em maio de 2015, apresentou-se ao lado de Miele na Academia Brasileira de Letras, em show intitulado “Rio à noite: 450 anos de sedução”, com apresentação de Ricardo Cravo Albin, no projeto “MPB na ABL”.

 

Gravou, em 2016, um disco composto apenas por músicas de Fred Falcão. Lançado no ano seguinte, “Bossa nossa – Leny Andrade canta Fred Falcão”, saiu pela gravadora Biscoito Fino e teve direção artística do próprio homenageado. Em 2016 apresentou-se no espetáculo “MPB: A Alma do Brasil”, criado e apresentado por Ricardo Cravo Albin ao lado de Fernanda Montenegro. O espetáculo foi patrocinado pelo Ministério da Cultura em parceria com o BNDES, realizado no palco do Espaço Cultural BNDES, com participação de João Bosco, Zélia Duncan, Fagner, Martnália, Ataulpho Alves Júnior, Márcio Gomes, Danilo Caymmi, Zezé Motta, Claudette Soares, Marcos Sacramento, Dóris Monteiro, Luciene Franco, Ellen de Lima, Simone Mazzer, Imyra e Alfredo Del-Penho. Na ocasião, o BNDES disponibilizou um telão nos jardins do prédio, onde os dois shows foram visto por cerca de 500 pessoas por noite. O show foi registrado na Europa e Estados Unidos por cerca de 20 jornalistas internacionais, recém-chegados para as Olimpíadas de 2016.

Em 2017 participou da versão carioca do espetáculo “Os 100 anos de Dalva de Oliveira”, dirigido por Thiago Marques Luiz e apresentado no Centro Cultural João Nogueira – Imperator, ao lado de Amelinha, Zezé Motta, Simone Mazzer, Zé Renato, Márcio Gomes, Dóris Monteiro, Áurea Martins, Rosa Maria, Júlia Vargas, Eliana Pittman, Agnaldo Timóteo, Luciene Franco, Ellen de Lima, Gottsha João Cavalcanti e Atauldo Alvez Jr. O espetáculo também foi apresentado no Teatro J. Safra, em São Paulo, com as participações de Angela Maria, Alaíde Costa, As Bahias e A Cozinha Mineira, Aytron Montarroyos, Célia, Cida Moreira, Claudette Soares, Edy Star, Fafá de Belém, Filipe Catto, Marina de La Riva, Maria Alcina, Márcio Gomes, Tetê Espíndola, Verônica Ferriani e Virgina Rosa.

Em 2018 comemorou 60 anos de carreira com apresentações pelo projeto “Clube do Choro Convida”, acompanhada pelo violonista Luiz Meira. Na criação do repertório desse show, incluindo as músicas que se tornaram marcantes em sua trajetória, como “Estamos aí” (Durval Ferreira, Maurício Einhorn), “Rio” (Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli), “Céu e Mar” (Johnny Alf), “Influência do Jazz” (Carlos Lyra), “Contigo Aprendi” (Armando Manzanero), além do pout pourri de Tom Jobim, com “Este seu Olhar”, “Triste”, “Vivo Sonhando” e “Você vai ver e Garota de Ipanema”.

Em 2019, aos 75 anos, mudou-se para o Retiro dos Artistas.

Discografias
2017. CD “Bossa nossa Leny Andrade canta Fred Falcão”.
2013 Canciones Del Rey (Leny Andrade) - CD
2010 Fina Flor CD Alma mia (Leny Andrade)
2010 Fina Flor CD Alma mia (Leny Andrade)
2006 Leny Andrade e César Camargo Mariano ao vivo (Leny Andrade e César Camargo Mariano) - Albatroz – CD
2006 Leny Andrade e César Camargo Mariano ao vivo (Leny Andrade e César Camargo Mariano) - Albatroz – CD
2006 Lua do Arpoador (Leny Andrade e Romero Lubambo) - Biscoito Fino – CD
2006 Lua do Arpoador (Leny Andrade e Romero Lubambo) - Biscoito Fino – CD
2001 Albatroz CD E quero que a canção seja você (Leny Andrade)
2000 Paradox Music CD Leny Andrade canta Altay Veloso (Leny Andrade)
1998 Albatroz CD Bossas novas (Leny Andrade)
1995 Lumiar Discos CD Antonio Carlos Jobim, letra e música (Leny Andrade e Cristóvão Bastos)
1995 Velas CD Luz negra - Nelson Cavaquinho por Leny Andrade (Leny Andrade)
1994 Perfil Musical CD Coisa fina (Leny Andrade e Romero Lubambo)
1994 Chesky Records CD Maiden Voyage (Leny Andrade)
1994 Velas CD Nós (Leny Andrade e César Camargo Mariano)
1993 Som Livre CD Embraceable you (Leny Andrade)
1991 Eldorado LP Bossa nova (Leny Andrade)
1990 Eldorado LP Eu quero ver (Leny Andrade)
1989 Eldorado LP,CD Luz neon (Leny Andrade)
1989 Eldorado LP,CD Luz neon (Leny Andrade)
1988 CBS LP Cartola 80 anos (Leny Andrade e Gilson Peranzzetta)
1984 RCA/Pointer LP Leny Andrade (Leny Andrade)
1979 CBS LP Presença de Leny Andrade e Os Cariocas (Leny Andrade e Os Cariocas)
1979 Columbia LP,CD Registro (Leny Andrade)
1979 Columbia LP,CD Registro (Leny Andrade)
1975 Odeon LP Leny Andrade (Leny Andrade)
1973 Odeon LP Alvoroço (Leny Andrade)
1973 Odeon LP Expo-Som 73, ao vivo (Márcia, Leny Andrade, Simone e Ari Vilela)
1972 Odeon LP Gemini cinco anos depois. Pery Ribeiro & Leny Andrade (Pery Ribeiro e Leny Andrade)
1965 Odeon LP Estamos aí (Leny Andrade)
1965 Odeon LP,CD Gemini V - Show na boate Porão 73 (Leny Andrade, Pery Ribeiro e Bossa Três)
1965 Odeon LP,CD Gemini V - Show na boate Porão 73 (Leny Andrade, Pery Ribeiro e Bossa Três)
1963 Polydor LP A arte maior de Leny Andrade (Leny Andrade)
1963 Polydor LP A arte maior de Leny Andrade (Leny Andrade)
1961 RCA Victor LP A sensação (Leny Andrade)
Obras
Shows
2015 ABL. RJ “Rio à noite: 450 anos de sedução”.
2010 Canecão, Rio de Janeiro. Alma mia. Show de lançamento do disco.
2010 Teatro Rival, Rio de Janeiro. Leny Andrade.
2009 Umbria Jazz Festival, Itália. Leny Andrade e Romero Lubambo.
2004 Canecão, Rio de Janeiro. Bossa nova in concert. Vários artistas.
2003 Teatro Rival BR. Rio de Janeiro. Leny Andrade e Sílvio César.
1967 El Señorial, Cidade do México. Gemini V. Leny Andrade, Pery Ribeiro e Bossa Três.
1965 Porão 73. Rio de Janeiro. Gemini V - Leny Andrade, Pery Ribeiro e Bossa Três.
Clips
Bibliografia Crítica

ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira – Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008; 2ª ed. Esteio Editora, 2009.

COSTA, Cecília. Ricardo Cravo Albin: Uma vida em imagem e som. Rio de Janeiro: Edições de Janeiro, 2018.

RIBAS, Regina. Leny Andrade: Alma mia. Coleção Aplausos. Imprensa Oficial. 2012