0.000
Nome Artístico
Denise Barreto
Nome verdadeiro
Denise Barreto
Data de nascimento
26/6/1945
Local de nascimento
Rio de Janeiro, RJ
Dados biográficos

Cantora. Versionista. Nascida no bairro carioca de Jacarepaguá, formou-se em economia depois de abandonar a carreira artística.

Dados artísticos

Iniciou a carreira artística ainda bem jovem. Por volta de 1962, ganhou o título de “Favorita da juventude” num concurso de televisão, sendo lançada como cover da cantora italiana Rita Pavone, então em grande sucesso no Brasil, passando a ser chamada de “Rita Pavone brasileira”. Em 1965, foi levada pelo radialista e compositor José Messias para a gravadora RCA Victor e gravou “Na minha idade”, uma versão de Erasmo Carlos para o sucesso “Alla mia etá”, de Rita Pavone. O outro lado do disco apresentava a música “O seu nome”, versão de Paulo Murillo para “Il tuo nome”, de Medini Millier. Em 1966, gravou os rocks “Supercalifragilistic”, de R.M. & R.B. Sherman, em versão de Getúlio Cortes, e “Brotinho travesso”, de Delamare e Isaías Rodrigues. Ainda em 1966, contratada pela Odeon, gravou “Meu boletim”, versão de Nazareno de Brito, para “Mon livret”, de Michel Rivgauche e Georges Blaness, talvez seu maior sucesso, que contou com a participação especial do radialista Cesar Ladeira, em disco que trazia no lado B o rock “Não lhe dou mais chance”, versão de Getúlio Cortes, para “Think about love”, de Gerry Marsden. Ainda no mesmo ano, fez parte da coletânea “A roda do iê – iê – iê”, disco gravado ao vivo, no qual interpretou “Roda do Iê Iê Iê”, de José Messias; “Parecida a uma boba (Your babys gone surffin)”, de Eddy e Hazlewood, em versão sua; “Você me acende (You turn me on)”, de Ian Whitcomb, em versão de Erasmo Carlos; “Deixa de banca (Los Cornichons)”, de Ferrer e Booker, versão de Eduardo Araujo, e “Quero que vá tudo pro inferno”, de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, em versão cantada também por Golden Boys, Robert Livi, Humberto Garin e Os Lordes. Por essa época, chegou a apresentar o programa “Onda jovem”, ao lado de Luiz Alberto, na TV Tupi. Em 1967, gravou compacto simples com as músicas “Chato e atrevido”, de Odair José e Julio Cesar, que fez algum sucesso, primeira gravação de uma música de Odair José, e “Se este mundo fosse meu”, de Rossini Pinto. Em 1968, gravou “Sol demais”, de Anisio Bichara e José Messias, com a qual também fez algum sucesso, e “Tome jeito”, de Puruca. No mesmo ano, gravou outro compacto simples com as músicas “Une Rondine Bianca”, de Mattone, em versão sua, e “Aleluia”, de sua autoria e José Filho. Em 1968, atuou no filme “Em ritmo jovem”, dirigido por Mozael Silveira, interpretando a música “Aleluia”. Em 1969, gravou aquele que seria seu último disco, um compacto simples com as marchas “Garota astronauta”, de Raul Sampaio, e “Menina”, de Arnô Provenzano e J. Pereira Júnior, que seriam incluídas na coletânea “É carnaval”. Com ativa participação no movimento Jovem Guarda, abandonou a carreira em 1970, para ser freira, chegando a cumprir seis meses de Noviciado. Acabou desistindo pois queria ir para as Missões na África, mas foi impedida pelos pais, já que era filha única.

Discografias
1969 Odeon Compacto simples Garota Astronauta/Menina
1968 Odeon Sol demais/Tome jeito
1968 Odeon Compacto simples Une Rondine Bianca/Aleluia
1967 Odeon Compacto simples Chato e atrevido/Se este mundo fosse meu
1966 Odeon LP A roda do iê - iê - iê - Participação -
1966 Odeon Compacto simples Meu boletim/Não lhe dou mais chance
1964 RCA Victor Compacto simples O Seu Nome (Il Tuo Nome)/Na Minha Idade